Universitários desafiam-se a buscar alimentação saudável

Estudantes que preparam comida em casa têm mais contato com produtos naturais e consciência do que estão ingerindo

Por Amanda Marques

A correria da rotina universitária e a praticidade dos fast foods estimulam o sedentarismo, ocasionando um problema na saúde pública. Embora a má alimentação esteja diretamente associada a doenças como diabetes, obesidade, hipertensão arterial e alteração nas concentrações de colesterol, a realidade do estudante da UFU muitas vezes não permite que realize uma dieta balanceada e a alimentação equilibrada torna-se um desafio.

A estudante de Teatro da UFU, Carla Beatriz da Silva,  mantinha uma alimentação equilibrada antes de ingressar na universidade, mas a nova rotina afetou seus hábitos alimentares. “A falta de tempo interfere na elaboração de uma comida mais saudável, então eu sempre escolho o que é mais fácil fazer. Geralmente almoço e janto macarrão. Bolachas são sempre meu lanche”, conta. A estudante relata que ganhou muito peso em pouco tempo por causa de sua alimentação, prejudicando a autoestima e despertando o desejo de reverter esse quadro.

Entretanto, a estudante já teve por hábito a prática de exercícios físicos. Hoje, devido a falta de tempo, parou, o que influenciou diretamente em sua vida. “Atualmente, como não faço mais caminhadas, fico indisposta para realizar as tarefas da faculdade. Não consigo me concentrar tanto quanto antes”, relata.

A aluna de Direito da UFU, Amanda Eduarda Sena, também viu sua alimentação mudar “radicalmente” após ingressar na universidade. Ela conta que enquanto morava na casa de sua tia, as opções alimentares eram saudáveis, mas hoje prefere alimentos de rápido preparo. “Por causa do cansaço e compromissos a serem cumpridos, opto por comer qualquer coisa que engane o estômago”, conta.

Sena recebe a Bolsa Alimentação, oferecida pela Divisão de Assistência e Orientação Social da Pró-reitoria de Assistência Estudantil (Diase/Proae). Por isso, a estudante almoça no Restaurante Universitário (RU) sempre que possível. “Quando não dá tempo de almoçar, compro uns dois salgados para não ficar com fome”, relata. Ela lamenta não conseguir reservar um período do dia para a prática de exercícios físicos, pois acredita que poderia ajudá-la a ter mais disposição.

Foto 2
Alimentos gordurosos e com poucos nutrientes estão associados diretamente à má
alimentação dos universitários. Foto: Pedro Henrique

Já a estudante de Engenharia de Agrimensura e Cartográfica da UFU, Geovana Roca, conseguiu aliar o exercício físico à dieta balanceada. Sob a orientação de sua nutricionista e em busca de uma vida mais saudável, ela afirma não seguir o cardápio sugerido à risca, mas garante que se esforça para não fugir da alimentação equilibrada e rica em nutrientes. “Se tenho vontade de algum doce, faço receitinhas fitness feitas com farinhas melhores, como de amêndoas e aveia”, comenta. Quando quer sair da dieta, Roca revela: “acredito que se ficar me restringindo, vai chegar uma hora que não vou aguentar mais. Por isso, prefiro comer de vez em quando do que perder o controle.”

A aluna de Enfermagem da UFU, Beatriz Santos Afonso,  sempre teve o hábito de se alimentar com alimentos naturais. “Sou exigente na alimentação desde criança. Minha mãe colocava ovo cozido, frango e tomate na lancheira para a escola. Eu comia bem, enquanto os coleguinhas compravam lanches e industrializados”, lembra. Esses hábitos se estenderam para a vida adulta. “Não gosto de comprar salgados nas lanchonetes da universidade, pois têm muita gordura e produtos industrializados. Abro exceção apenas em algumas festas”, afirma.

Segundo a IV Pesquisa do Perfil Socioeconômico e Cultural dos Estudantes de Graduação das Instituições Federais de Ensino Superior Brasileiras, realizada pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior no Brasil (ANDIFES) em 2014 e divulgada em 2017, a maioria dos graduandos (57,14%) prefere se alimentar em casa. Já os restaurantes universitários são a segunda opção de alimentação preferida dos estudantes (32,1%). Ainda de acordo com a pesquisa, 68% dos universitários fazem de três a quatro refeições diárias, incluindo café da manhã, almoço, jantar e lanches, o mínimo indicado pelos profissionais da saúde. A pesquisa é uma iniciativa do Fórum Nacional de Pró-reitores de Assuntos Comunitários e Estudantis (Fonaprace) com o apoio da ANDIFES e, atualmente, está em atualização.

Foto 1
Para quem não gosta de perder tempo, fast food é a melhor opção no quesito
praticidade. Foto: Pedro Henrique

Para o nutricionista Matheus Eduardo de Souza, as refeições preparadas em casa são a opção mais sadia. “O ideal seria que nós mesmos fizéssemos nossa própria comida de forma natural, pois quando cozinhamos nós sabemos quanto vai de cada ingrediente e o que vai na nossa alimentação, optando por produtos mais naturais”. Roca é adepta do preparo de refeições caseiras. “Não tenho preguiça de  cozinhar. É muito fácil abrir embalagens e pacotes de industrializados, mas a satisfação de ter conseguido preparar alguma coisa, ter planejado e ter dado certo, é muito boa!”, defende.

Para quem não sabe cozinhar, o nutricionista indica uma outra forma de alimentação saudável. “Quando for comer fora de casa, é bom optar por alimentos mais próximos do natural, evitando excesso de sal, óleo e industrializados”, informa. Souza ainda adverte que uma boa alimentação deve ser aliada à prática de atividades físicos. “Saúde consiste no equilíbrio biopsicossocial, sendo o exercício físico uma parte desse todo”. Seja para ter mais energia para o dia a dia ou para evitar doenças, a alimentação nutritiva é sempre um bom pedido.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: